Sábado, 1 de Dezembro de 2007

Dia Mundia contra a SIDA

Não gosto de abordar um tema de uma forma muito pesada, ainda mais sendo sobre o Síndroma de ImunoDeficiência Adquirida (extensão do acrónimo de SIDA).

Abordo hoje, porque dia 1 de Dezembro é o dia mundial contra a SIDA.

Enquanto o vírus da Imunodeficiência Humana (extensão do acrónimo de VIH) não tenha ainda degradado o sistema de defesa do corpo, a pessoa chama-se seropositiva.

Quando o sistema imunológico está já tão fraco que não consegue defender o organismo, diz-se que a pessoa tem SIDA.

Infelizmente, e será sempre em todos os casos, a maior incidência de contágio advém de material não esterilizado para se injectarem, e depois devido à falta de protecção nas relações sexuais.

É sobre a protecção nas relações sexuais que trata a música que coloquei neste artigo.

A música não está completa, até porque tem conteúdo muito forte não aconselhável a crianças, mas deixei ficar alguns excertos para compreender a história que é contada na música.

A música chama-se «Roleta Russa» é do MC* Valete e pertence ao álbum «Serviço Público» editado em 2006.

Resumindo a história… São 2 da manhã e Valete encontra-se sozinho na rua à espera de transporte, passa a Vanessa de carro ao que lhe oferece boleia para a casa dela. Sendo ela um bocadão descarada e indecente os dois aproximam-se e Valete vai comprar protecção porque nenhum tem. Quando ele chega a casa, a situação aquece e acabam por se envolverem intimamente. Mas a inconsciente Vanessa pede por tudo para ele tirar a protecção, Valete consciente do perigo recusa e ela zanga-se com ele. Como ela recusa a protecção de Valete, ele prefere sair de casa do que sujeitar-se ao risco de uma possível infecção de alguma doença sexualmente transmissível.

Esta história tem uma grande lição de moral, tanto para mulheres como para homens. O que interessa é não ceder às pressões da outra pessoa e manter-se sempre firme perante a sua saúde que é muito mais importante que uns minutos de prazer!

 

E este ano, porque não oferecerem uma prenda de Natal a vocês próprios? Protejam-se e tenham saúde!

  

* - Mestre de Cerimónias - expressão utilizada em Hip Hop

 

Clicar para ouvir

Feito pelos neurónios da Fiju às 00:01
link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De freakunleashed a 1 de Dezembro de 2007 às 11:58
Antes de tudo não posso deixar de te congratular novamente pela pertinência das temáticas que escolhes para construir um artigo. Este artigo testemunha não só a tua consciência cívica, e ulteriormente fornece um serviço público ao tentar prevenir comportamentos de risco, como demonstra que a tua personalidade forte dispensa futilidades. Desde a sua génese a SIDA já destruiu milhões de vidas e hipotecou mesmo a sobrevivência de muitas nações, principalmente nos supracitados países subdesenvolvidos, no entanto é chocante a leviandade com que continua a ser encarada por muitos jovens e mesmo por adultos que na busca do mais puro hedonismo relegam para segundo plano as suas responsabilidades para com a sociedade.
Não me cabe a mim julgar comportamentos, ou tentar incutir algum sentido ético nos mesmos, a promiscuidade sempre existiu e infelizmente reportou-se para os mais variados programas da nossa geração, como por exemplo nas saídas nocturnas em que rapaz conhece rapariga, rapariga conhece rapaz e no final da noite aqueles perfeitos desconhecidos já partilharam entre si todo um legado de comportamentos sexuais de risco, materializados num variado índice de DST. Gritante é também o “catch the bug” ou “apanha-o-bicho” vulgarizado por entre a comunidade gay nos Estados Unidos e que já atravessou fronteiras e se conhecem indícios na Espanha, que consiste numa espécie de roleta russa, numa casa totalmente escura indivíduos mantêm aleatoriamente relações sem protecção com vários parceiros sabendo antecipadamente que metade deles estão infectados com uma das estirpes do HIV.
A SIDA mata milhões por ano, degrada ao limite a saúde dos pacientes, destrói famílias, comunidades e até continentes. Estamos longe de encontrar uma cura, mas a informação está disponível, o seu tratamento é a prevenção.
Quer sejam promíscuos ou não e citando a Fiju, a SIDA é um preço muito elevado a pagar por meros minutos de prazer, e infectar outra pessoa é uma crueldade análoga a torturar e posteriormente assassinar o parceiro após o sexo.

Mais um admirável artigo que se associou de forma exímia à música. Os meus parabéns Fiju, um milhão de beijinhos para uma nina muito especial. E sabes?
De Cadu a 1 de Dezembro de 2007 às 12:17
já conhecia a música e é importante que haja músicas deste tipo, mas já notei que músicas deste tipo são muitas vezes intrepetadas de uma maneira "porca" e assim as pessoas não sabem ver o verdadeiro significado da letra da música e depois não aconselham a ouvir este tipo de músicas (já me aconteceu)

fica bem
De Fiju a 2 de Dezembro de 2007 às 12:13
Bem haja pelo teu comentário! Gostei muito até porque fiquei com um certo receio do que poderiam pensar da música. É uma música chocante, mas o problema de que aborda é ainda mais chocante.
Jokas.
De Mauro Maia a 1 de Dezembro de 2007 às 13:26
E o problema é ainda pior quando se trata de pessoas que se conhece há mais tempo do que um encontro casual. Duas pessoas conhecem-se, apaixonam-se, têm um relacionamento afectivo. A convivência transmite confiança, mas a SIDA (que é o acrónimo de Síndrome de ImunoDeficiência Adquirida, não o oposto... ;^) ) pode ficar dormente no sangue da pessoa infectada com o VIH (que não sei se será bem um acrónimo de Vírus da Imunodeficiência Humana, uma vez que não forma uma palavra que respeita as normas da ortografia portuguesa) sem que ela mesmo saiba ou se aperceba. A maioria de nós foi ensinado, em pequenos, a desconfiar dos estranhos (se o fazemos depois ou não é outra questão) mas como desconfiar dos conhecidos? Como dizer ao amor da nossa vida: «Ei, só concretizaremos fisicamente o nosso amor se fizeres um teste ao VIH»? Bota difícil de descalçar...
De freakunleashed a 1 de Dezembro de 2007 às 14:31
Estás absolutamente correcto Mauro, é realmente uma bota muito difícil de descalçar, e como sabemos o verdadeiro Amor entorpece-nos os sentidos e consequentemente a razão. Nesse caso diria que a comunicação entre o casal antes da consumação do acto poderá contornar essa situação, através do conhecimento prévio de quantos parceiros o par esteve ou mesmo a viabilidade de que nenhum, ou mesmo o único parceiro com o qual a pessoa amada esteve não representava nenhuma situação de risco. Mas a verdade nua e crua é essa, é impossível ter certezas porque, e como nós sabemos as pessoas mentem, ocultam informações, e o que dizer da mulher que foi infectada pelo pai dos seus filhos, aquele que lhe havia jurado amor e fidelidade eternos, porque este ao fazer “horas extraordinárias” no escritório se envolveu com uma colega também ela casada e que ignorava que o seu infectado marido recorresse a prostituas, é toda uma bola de neve incontrolável.
A palavra responsabilidade que tem a sua origem etimológica no latim “responsa”e que significa resposta resume tudo o que teremos de fazer, importa darmos num nível geral à sociedade a resposta que se exige e espera de nós, actuarmos com prudência e conscientes dos riscos, e sacrificarmos o prazer egocêntrico para um bem estar comum.
No entanto sabemos que o ser humano sempre irá até ao limite e arrasta consigo todos aqueles que lhe são próximos, por isso cabe a cada indivíduo adequar os seus comportamentos e atitudes de forma a promover a sua própria protecção, nem que seja necessário pedir-mos ao amor da nossa vida para fazer o teste, porque tempos cruéis exigem medidas drásticas.
De Fiju a 2 de Dezembro de 2007 às 13:00
Obrigada pelo comentário Mauro e pela chamada de atenção ao acrónimo!
Acrónimo é o que habitualmente chamamos Sigla. Portanto o acrónimo ou sigla é SIDA e portanto a sua extensão significa Síndroma de ImunoDeficiência Adquirida. Vou emendar no artigo! Jokas!

Um especial bem haja ao «Freakunleashed»! Tens estado atendo aos meus artigos e comentários. Gosto muito dos teus comentário e tens uma maneira de escrever muito certa! Gostei daquela parte da palavra responsabilidade, advém da palavra resposta. Realmente umas das coisas que implica a responsabilidade é isso mesmo!
Muitos beijinhos para ti e... Sei uma coisa, queres sabê-la? Eh eh eh!
De nininhaworld a 6 de Dezembro de 2007 às 21:29
Roleta russa é muito perigosa...excelente ideia de oferta mas NUNCA SO NO NATAL...
nem sao tao caros..va-la, 1ou 2 na carteira nao custa nada.
Horas quentes deve-se aquecer ainda mais, e nao esfriar,,frio esta muito la fora.

bjs

comentar artigo

Trastes da Fiju

Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Pensamentos recentes

...

A génese de nós dois

A folga

O faz de conta...

Fez hoje 9505 dias

De burro para cavalo

O problema dos 6 milimetr...

O clima, a gasolina e a S...

A tirar o pó das narinas

Animais que fumam? Ou ser...

Pensamentos arquivados

Dezembro 2009

Junho 2009

Setembro 2008

Junho 2008

Maio 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005